Gastança de Lula leva deputado a propor teto para cartão corporativo

Lula e Janja

O casal gastou R$ 65 mil em um sofá e R$ 42 mil em uma cama.

O deputado Aureo Ribeiro, líder do Solidariedade na Câmara dos Deputados, apresentou uma proposta que prevê um limite de gastos para cartões corporativos da União. A ideia surgiu depois dos gastos da primeira-dama Janja e do ex-presidente Lula, que totalizaram quase R$ 200 mil em móveis para o Palácio da Alvorada.

PUBLICIDADE

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, Ribeiro sugere a criação de regras para condicionar o uso do cartão corporativo, estendendo a proposta para Estados, Distrito Federal e municípios. O objetivo é evitar gastos excessivos e garantir a transparência nas operações realizadas com o cartão.

Segundo a proposta, as operações realizadas com cartões corporativos seriam passíveis de contestação por um prazo de até 60 dias e ficariam sujeitas a um limite anual de gastos. Inicialmente, o limite seria igual à média das despesas relativas aos últimos três anos e depois seria reduzido gradualmente: 10% a partir de 2024, 20% em 2025 e 30% em 2026.

PUBLICIDADE

Em relação aos gastos da primeira-dama e do ex-presidente, o deputado afirmou que é preciso estabelecer limites para evitar excessos. “O uso de cartões corporativos deve ser fiscalizado e controlado, para que não ocorram gastos abusivos ou desnecessários”, disse Ribeiro.

Vale lembrar que, recentemente, Janja e Lula foram criticados pelos gastos com móveis para o Palácio da Alvorada. O casal gastou R$ 65 mil em um sofá e R$ 42 mil em uma cama, dentre outros itens. Além disso, Janja comprou uma gravata de mais de mil reais em uma loja de luxo em Portugal, onde o casal está hospedado em um hotel com diárias de até R$ 22 mil.

(Visited 13 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.